Sigam o blog

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Kunoichi くノ一






A Mulher Ninja
Retirtado dos seguintes sites:





  Kunoichi (em japonês: くノ一) é um shinobi de sexo feminino praticante de ninjutsu. Elas eram mais perigosa por causa da sua beleza mais deslumbrante e capaz de penetrar no coração do inimigo mais forte que uma katana, a Kunoichi a arma mais sedutora e traiçoeira de uma família shinobi.
   Com um aspecto que podia excitar e seduzir os inimigo e um treinamento misto que compreendia a delicadeza de uma Geisha e as habilidades do Ninjutsu, uma Kunoichi poderia  causar danos a um oponente de um modo irreversível.
   Os shinobis se deram conta da facilidade de ocultar que tinham a mulher e as crianças, já uma mulher e crianças não eram considerados como guerreiros.

      Os NINJA se deram conta da facilidade de ocultar que tinham a mulher e as crianças, já que de um homem se poderia esperar qualquer coisa, mas nunca de uma mulher e crianças, já que não os consideravam como guerreiros. Ao menos isto foi o que ocorreu nos primeiros atos de rebelião, já que posteriormente a ira dos Samurais caiu igualmente sobre qualquer ser vivo, homem ou mulher, criança ou velho.
      A KUNOICHI ao contrário de seus companheiros de sexo oposto, os quais tinham que obedecer cegamente, era considerada uma NINJA e por ser mulher não constituía uma discriminação, chegando inclusive a supor uma rivalidade com o treinamento NINJA. A mulher tinha a vantagem de seduzir com facilidade o inimigo, coisa que os homens obviamente não podiam fazer.
     Convertidas em espiãs, seduziam o inimigo, para extrair todo tipo de segredos e estratégias e informações. Portanto, quanto mais amorosa e sedutora, mais eficiente.

 Utilizando ervas afrodisíacas e estratégias KISHA (sedução), minavam lentamente a vontade de qualquer homem satisfazendo ao mesmo tempo todos os desejos, com a finalidade de lucrar com aqueles que confiaram cegamente nelas. Provocavam disputas e desavenças entre membros de um mesmo clã inimigo, com o propósito de que se traísse uns aos outros ou chegassem a lutar entre eles, momento que a KUNOICHI aproveitava para roubar segredos ou evadir-se com alguma criança como refém.
     O treinamento da KUNOICHI era intenso, similar ao dos homens,porém com algumas diferenças, a sedução e o uso do sexo como arma. Sua especialidade era  o envenenamento, e para isso utilizava seus amplos conhecimentos em YAGEN (farmacologia). Estes venenos eram extraídos de minerais, plantas, vísceras de animais, assim como esterco e sangue de cavalo. A pessoa que era infectada por alguma dessas substâncias morria vítima de cólera, ou ao menos cairia fora de combate durante vários dias.
      Outro dos elementos utilizados eram os gases anestésicos que misturava com os aromas do inimigo, ou o pó picante venenoso, que derramado pelo colo causava uma enlouquecedora coceira, momento que a KUNOICHI aproveitava para completar sua ação. 

 Em relação às armas, a KUNOICHI utilizava com preferência a espada SHINOBI KEN com o comprimento de 70 cm e a levava camuflada. Esta espada, sensivelmente menor que as utilizadas pelos Samurais, era muito apta para os disfarces e ocultações, e graças a seu reduzido peso podia ser manejada com facilidade pelas mulheres.
     Os TONKI eram uma série de pequenas armas de metal que usavam. Entre essas pequenas armas encontramos lâminas e pequenos objetos, dardos e outras armas afiadas como são os SHURIKEN, ou SHAKEN ou os TETSUBISHI ou MAKIBISHI. 

     As demais TONKI dividiam-se em duas classes destas pequenas armas que só eram usadas pelas KUNOICHI e, às vezes, pelas GEISHAS. Estas duas armas são as seguintes: a KANZASHI, que era uma varinha afiada que servia para prender o cabelo. Algumas destas KANZASHI tinham nas extremidades canais que serviam para levar veneno, o qual se inoculava quando o fio era cravado. E o KAIKEN, que era uma lâmina de reduzida dimensão e podia ser usada como punhal ou como arma de arremesso, tanto é assim que os especialistas crêem que o KAIKEN, é o antepassado do SHURIKEN. Estas duas armas eram usadas quando as KUNOICHI se vestiam como mulheres normais.
    O material TONKI era usado pelas KUNOICHI, geralmente, quando estas seduziam uma pessoa importante. Depois de seduzir o inimigo e de haver conseguido a informação que a interessava, a mulher NINJA se necessário ou para proteger sua vida, matava a sua vítima com alguma arma do arsenal TONKI ou usando seu conhecimento em envenenamento, com a qual a vítima morreria de forma rápida e silenciosa.
Agulhas e dardos pequenos (FUKUMI BARI) eram escondidos na boca, em pequenos canos, com a finalidade de lançar no momento que menos se esperava ou cravar no momento de uma união afetiva. As vezes se utilizavam de uma FUKIYA (zarabatana) para lançar dardos.
 As flechas eram também armas usadas com efetividade pelas KUNOICHI. Usavam de todas classes, incluindo as explosivas, as incendiárias e as envenenadas. Os arcos que usavam eram de bambu, pequenos, com o qual podiam carregar sem deixar seus outros pertences no caso de fuga e podiam esconder-se em qualquer lugar. 

     O leque de ferro ou TESEN era também usado pelas KUNOICHI, mas as característi­cas desses TESEN eram distintas dos leques de ferro usado pelos SAMURAIS. Os SAMURAIS tinham uns abanicos (leques) totalmente de ferro para se de­fender quando perdiam a KATANA em combate. Sem dúvida, o leque Samurai, todo mundo podia ver que era de ferro, mas o TESEN das KUNOICHI eram de madeira e tela, exceto as varas centrais, com laminas de aço em suas extremidades impregnadas de veneno, cortavam como KATANÁ, esta era uma arma muito comum entre as KUNOICHIS, todas elas dominavam perfeitamente o TESSÊN era uma arma muito eficiente e estava à vis­ta de todos sem que nada superasse sua capacidade mortífera.
    O irresistível desejo que as KUNOICHI inspi­ravam deram acesso aos mais escondidos “santu­ários” dos senhores da guerra no Japão feudal e as converteram nas espiãs por excelência. Graças a sua liberdade de ação, as KUNOICHIS eram uma das principais fontes de informação que os NINJA possuíam a sua disposição. 

     A função que a KUNOICHI representava den­tro do campo inimigo era a de servidora ou concubina do senhor feudal (DAIMYO), um traba­lho que não era considerado negativo por seu com­panheiro NINJA, pois isso era uma tarefa a qual eles não estavam capacitados. As KUNOICHIS eram conside­radas colaboradoras imprescindíveis nos aconte­cimentos do NINJA e portanto eram tratadas com grande respeito, ao mesmo tempo que se exigia um treinamento tático superior inclusive ao dos homens.
     Uma vez que uma jovem de um clã NINJA era designada a ser KUNOICHI, sua instrução começa­va ao mesmo tempo que a de seus companheiros meninos. Velocidade, equilíbrio, força, agilidade e resistência, constituíam os aspectos físicos de seu treinamento. De maneira similar a astúcia, varieda­de de recursos, resolução e disciplina eram parte do regime mental da mulher NINJA.
     Ensinavam-lhe em profundidade métodos de sedução, até o ponto que eram capazes de sedu­zir, não somente de forma amorosa como em forma sentimental, qualquer pessoa, homem, mulher, criança, príncipe, sacerdote ou monge, ao nível que fora necessário para conseguir seus fins. Estes níveis de sedução englobavam um amplo aspecto desde o mais corriqueiro até a extorsão sexual. Grande parte de seu treinamento era dedicado a desenvolver sua habilidade inata para julgar e determinar os pontos frágeis de uma pessoa, para assim obter os me­lhores resultados.
     Como se poderia escapar, a KUNOICHI era tam­bém especialista no uso do armamento NINJA, em previsão de que sua verdadeira missão fosse des­coberta. Além da autodefesa a KUNOICHI preferia usar armas sutis cujo uso era dirigido a um grupo específico. Seu arsenal incluía venenos ou drogas, que levava na boca com a finalidade de passá-la a seu inimigo e toda classe de gases e explosivos. Menos sutil era sua coleção de armas do KAKUSHIJUTSU, consistentes em pequenos objetos, agulhas, alfinetes escondidos pregados em sua roupa ou camuflados em faixas, presilhas de cabe­lo e outros utensílios femininos, que levava sem­pre consigo, sendo que nunca estava desprotegida. Por desgraça, não se podia dizer o mesmo de sua vítima que raramente estava preparada quando a KUNOICHI soltava o cabelo ou o abraçava.


A esposa do Ninja

            Quando a esposa de um NINJA sabia o ofício do marido e estava dentro do segredo do clã, tinha uma série de obrigações iguais a de uma esposa japonesa normal. A esposa NINJA devia aprender autodefesa para poder defender os filhos dos NINJA que, com o tempo, se tornariam novos NINJA. Além disso devia possuir sangue frio para dar informações que despistariam os soldados inimigos e que nunca podiam saber do paradeiro do NINJA, nem sequer passar pela cabeça que o NINJA passaria por aquela região.

A esposa do NINJA devia estar disposta a morrer e matar seus filhos, se a captura fosse iminente, já que os soldados inimigos torturavam tanto homens quanto mulheres, tanto adultos quanto crianças. As torturas eram cruéis e refinadas, incluíam tirar a pele do corpo entre outras crueldades. Quando o capturado era mulher, a agonia podia ser extrema, pois a tortura física antecedia a tortura moral.


Kunoichi na atualidade

Na atualidade, as mulheres praticantes de NINJUTSU, tem como Mestra, a grande MARIKO SAMA, esposa do grande Soke MASAAKI HATSUMI.
O treinamento das KUNOICHI na atualidade se iguala aos de seus BUYU (amigos marciais) NINJA no Dojo, além de aprenderem técnicas de KUNOICHI em seminários ou em aulas especiais somente dedicado as KUNOICHI, como ocorre no Brasil, durante o NINJA MATSURI (Fstival Ninja) que ocorre anualmente, paralelamente ocorre o ONA NO MATSURI que seria um Festival Ninja dedicado apenas para KUNOICHI.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim, por favor deixe a sua opinião aqui.
Eu peço apenas que não utilizem palavras de baixo calão ou xingamentos, não modero os comentários, porém caso sejam apenas de ofensas serão excluídos, críticas serão sempre bem vindas.
Desde já muito obrigado,
Pallas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook