Sigam o blog

domingo, 18 de dezembro de 2011

O segredo da cerveja


O segredo da Cerveja

Há muito e muitos anos, nos primeiros anos de sua história, a Escócia estava dividida em dois reinos, que viviam constantemente em guerra: o Reino dos pictos e o Reino dos escoceses. Os pictos eram os habitantes da terra , e os escoceses tinham vindo da Irlanda e invadido a terra bem antes do século IX.
Os pictos tinham um segredo. Eles sabiam fazer cerveja de urze, uma plantinha de flores pequenas e coloridas, muito comuns em montanhas de granito. Era um segredo tão precioso que apenas uma família o conhecia. Os membros dessa família haviam guardado esse segredo como um tesouro e o haviam passado de pai para filho, geração após geração.
Os escoceses queriam aprender o segredo da cerveja. Tinham-na provado e estavam determinados a fabricá-la por conta própria. Um dia, os escoceses cavalgaram até o extremo oeste da escócia onde vivia a família que guardava o segredo. Depois de uma longa batalha, um bando de guerreiros escoceses conseguiu capturar o velho pai e seu filho.
O velho e o filho foram trazidos diante do líder dos escoceses. Eles estavam no topo de um penhasco, e as pequenas flores de urze – roxas, cor-de-rosa e brancas – estavam por todos os lados. Lá embaixo o mar se chocava violentamente contra as rochas e gaivotas barulhentas voavam sobre eles.
“Vocês lutaram bem”, disse o chefe dos escoceses. “Mas agora a batalha terminou. Digam-nos o segredo da cerveja, e pouparei suas vidas.”
O velho e o seu filho não disseram uma palavra.
“Muito bem’, disse o chefe dos escoceses depois de alguns segundos. “Vejamos quão corajosos vocês são.”
Durante três dias e três noites os soldados espancaram e torturaram o velho e seu filho. Então o filho gritou: “pai, minhas forças estão no fim. Eu... eu...”
“Cale-se”, disse seu pai. Ele voltou sua cabeça branca para um dos soldados e ordenou: “leve-me até seu líder”.
“Vou lhe contar o segredo”, ele disse, “sob uma condição”.
“Que condição?”, perguntou o chefe dos escoceses.
“Matem meu filho primeiro!”
“O quê?”, exclamou o escocês.
“Levem meu filho à morte. Não quero que ele veja a vergonha que trarei para mim e para minha família quando eu lhe disser o que você quiser saber.”
“É muito justo”, disse o escocês. “Venha e veja você mesmo”.
Ele caminhou até o rapaz,. O velho seguiu-o lentamente. Com um alto brado o general escocês sacou a espada e cortou a garganta do rapaz.
“Aí está velho. Agora conte-me o segredo da cerveja.”
O velho aproximou-se de seu filho e inclinou-se sobre seu cadáver. Passou a mão no rosto do rapaz e fechou-lhe os olhos. Depois, levantou-se de novo e gritou:
“Imbecis! Vocês realmente acham que todos os seus tormentos podem me fazer falar? Eu ouvi os gritos do meu filho. Ele era jovem. Não tinha vivido o suficiente. Para ele a idéia de morrer, de não mais pisar essa grama, não mais contemplar esse mar e não mais ouvir esses pássaros era demais. Eu sabia que ele não conseguiria guardar nosso segredo por muito mais tempo. Por isso lhes pedi que o matassem. O segredo morreu em segurança com ele. Quanto a mim, façam comigo o que quiserem, jamais lhes direi como fazer a cerveja”.
Quando o líder dos escoceses ouviu as palavras do velho, as veias de sua testa saltaram de fúria.
“Levem-no daqui”, ordenou a seus soldados. “Levem-no daqui e atirem-no do penhasco. Que o mar o cubra para sempre com suas lágrimas salgadas!”
E então os homens jogaram o velho picto do penhasco. Ao cair daquela grande altura, ele levou consigo o segredo da cerveja de urze.


Um comentário:

  1. Mas... e daí??? Como não existem mais tais reinos, e as receitas alemãs de cervejas são muito boas, qual o problema de se ter perdido a receita de alguma coixsa que não se sabe ao certo o que é???

    Um viva aos alemães que nos permitiram conhecer sua cerveja. Dane-se o velho que morreu com seu segredinho bobo!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim, por favor deixe a sua opinião aqui.
Eu peço apenas que não utilizem palavras de baixo calão ou xingamentos, não modero os comentários, porém caso sejam apenas de ofensas serão excluídos, críticas serão sempre bem vindas.
Desde já muito obrigado,
Pallas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook