Sigam o blog

quinta-feira, 29 de março de 2012

Masturbação, prazer ou pecado?


A história da Masturbação
 
Nos dias de hoje, na nossa sociedade ocidental vivemos em uma, não necessariamente, repressão, mas sim um esquecimento parcial do sexo e suas variantes, quando digo variante me refiro a atividades que envolvam o corpo, como a masturbação. Falaremos neste post um pouco sobre a masturbação.
Tocar o próprio corpo, o que isso significa? Um pecado? Um ato abominante? Ou algo natural? Essas perguntas assolam e assolaram a mente de nossa sociedade pelos últimos 2000 anos. Afinal o que representa a masturbação?
Essa pergunta encontra diferentes manifestações de acordo com a cultura em que for analisada. Por exemplo para os gregos, amantes do corpo, da beleza do corpo humano consideravam-na como algo natural, a ser incentivado como um forma do jovem conhecer a si próprio. No Egito o mito de Rá diz que o deus copulou com seu próprio punho, ou seja, uma forma de se referir à masturbação, e daí deu-se início a criação. Contudo nem todas as culturas do mundo mostram-se tão adeptas a essa prática.
Na era judaico-cristão em que vivemos ela passou a ser desencorajada e até mesmo punida, não só a religião a condenou como também a medicina, em 1677 com a descoberta do espermatozóide passou-se a considerá-lo como pequenas “crianças”, portanto desperdiçá-los com a masturbação era praticamente um crime. Durante os séculos XVII a XIX ela foi fortemente repreendida, dizia-se que causava distúrbios do estômago e da digestão, perda do apetite ou fome voraz, vômitos, náuseas, debilitação dos órgãos respiratórios, tosse, rouquidão, paralisias, enfraquecimento do órgão de procriação a ponto de causar impotência, falta de desejo sexual e ejaculações noturnas e diurnas, existia e ainda existe a crença de que a masturbação faz crescer pêlos nas mãos.
A cultura indiana também não apóia o ato da masturbação, segundo sua cultura a masturbação acarreta a perda da energia vital, uma vez que o sêmen é considerado como o elixir da vida e deve permanecer o maior tempo possível dentro do corpo. Segundo sua cultura a masturbação pode deixar a pessoa fraca e até mesmo levá-las a morte, isso se deve ao fato de as aminas básicas putrescina e cadaverina que contribuem para o gosto e cheiro do sêmen serem também produzidas na decomposição corporal pós-morte.
Esse panorama ocidental religioso-medicinal foi alterado aos poucos com o surgimento de estudiosos como  SigmundFreud, Kraft-Hebing e HavelockEllis que trouxeram uma nova visão para a masturbação. Atualmente descobriu-se que a masturbação masculina na puberdade e no início da idade adulta contribui para a prevenção do câncer de próstata e também auxilia a diminuir os sintomas da depressão.
Mas ainda mais temida e pecaminosa é a masturbação feminina. Muitas mulheres têm medo de se tocarem, devido à intensa repressão cultural que sofreram ao longo do tempo e para uma mudança na psique da sociedade ocidental judaico-cristã leva muito tempo, ainda mais com as constantes ameaças que esses instituições religiosas fazem frente a essa prática, muitos papas recentes se manifestaram fortemente contra essa prática.
A masturbação feminina é mais intensa, geralmente, que a masculina, o prazer feminino é contínuo, mesmo após o orgasmo, isto também contribuiu com a repreensão á prática da masturbação pelas mulheres, uma vez que é quase um ataque ao machismo e ao poder do “macho” da espécie. Atualmente tem se tornado mais frenquente a masturbação entre o casal antes do coito, uma vez que a mulher fica mais excitada com o orgasmo através da masturbação e também contribui com a libido masculina vê-la masturband-se.
A masturbação para muitos representa uma válvula de escape, principalmente entre os adolescentes, uma forma de aliviar a tensão. Ela também é uma forma de conhecer a si próprio, suas zonas erógenas, uma pessoa que conhece o seu corpo sabe mais o que fazer com ele, como dar e receber mais prazer. Mas o medo ainda continua imperando em nossa sociedade, mas aos poucos ele vem cedendo.
Como ainda não foi explicado acima o termo masturbação foi usado pela primeira vez em 1898, com o Dr. Havelock Ellis, é a junção das palavras latinas manus (mãos) e “eturbari”  (esfregar). A masturbação é comum entre os mamíferos, principalmente entre os primatas.
A masturbação também é conhecida como onanismo, agora o porque deste termo:
Trecho do site Wikepédia
“Segundo o relato bíblico, Er, o primogênito de Judá, teria sido executado por Deus por um motivo grave não mencionado. Como ele não tinha descendência, Judá, seu pai, mandou que Onã, o segundo filho, realizasse o casamento de cunhado (ou casamento levirato) com Tamar, viúva de Er (Gênesis 38:6-8). Assim, se tivessem um filho, a herança de primogênito lhe pertenceria como herdeiro legal de Er. Se não tivesse um herdeiro, Onã ficaria com a herança de primogênito.
Ao ter relações sexuais com Tamar, o texto bíblico diz que ele "desperdiçou o seu esperma na terra", em vez de inseminá-la. Deste modo, acredita-se que não se tratava de um acto de masturbação por parte de Onã, considerando que o relato diz que ele "teve relações com a esposa de seu irmão", apenas evitando que houvesse a concepção, de modo o que pode ter acontecido de fato seria um caso de coito interrompido. Onã, que não tinha filhos, terá sido executado por Deus por causa de sua cobiça e desobediência deliberada (Génesis 38:9-10).”
Devido ao que se percebe pelo trecho acima a masturbação passou a ser execrada tanto pelos judeus quanto pelos cristãos. Contudo neste trecho podemos ver que não é dito, nem usado o termo masturbação, é dito que Onã teve relações com Tamar, ou seja, não houve a masturbação, mas sim o coito interrompido.
Podemos perceber o quão este tema é vasto e também controverso, cada cultura, cada povo a vê de uma forma. È a identidade cultural, porém para muitos também é uma forma de prendê-los, de torná-los pecadores, vítimas de seus medos, tormentos, pressões internas e externas.
Enquanto ainda estamos formando nossa mente psico-sexual somos fortemente influenciados pelo meio em que vivemos, e essa repressão pode trazer sérios danos aos jovens. Não conhecer a si próprio, não saber como seu próprio corpo funciona, temer a si mesmo, é isso o que desejamos para nossos filhos?
A todos vocês deixo meu agradecimento por estarem aqui, em meu blog, visitando-o. E também desejo a todos, que posam conhecer a si próprios, não só fisicamente, como também espiritualmente e mentalmente.
Um grande abraço a todos
Pallas
 
Aqui estão os sites que usei como referência para escrever esta postagem:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim, por favor deixe a sua opinião aqui.
Eu peço apenas que não utilizem palavras de baixo calão ou xingamentos, não modero os comentários, porém caso sejam apenas de ofensas serão excluídos, críticas serão sempre bem vindas.
Desde já muito obrigado,
Pallas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook