Sigam o blog

domingo, 1 de abril de 2012

O soar do paganismo


A voz divina em nós
Algumas vezes já me perguntaram o que é ser pagão, o que significa paganismo. Para muitos o termo pagão é quase um “palavrão”, uma palavra assustadora, significando alguém sem religião, sem Deus, e até mesmo contraditoriamente seguidor do diabo cristão, contudo se você não acredita no Deus católico, conseqüentemente também não acredita na mitologia cristã que envolve a figura do diabo.
Krishna
Durante algum tempo me considerei como um ateu, eu não acreditava em um deus, mas sim na energia do mundo, a energia criadora do universo, em um sentido mais universal da visão que comumente se tem dos deuses. O universo místico sempre me fascinou e eu sempre busquei aprender sobre as mais diversas religiões tanto do credo monoteísta, quanto do politeísta.
Ao longo do tempo percebi que o mais importante em cada uma delas não é o credo em si e sim a fé do crente, seja em Deus cristão, YHWH judaico, KRISHNA indiano, Zeus grego e outra milhares de deidades, elas em si não possuem o poder de transformar, por mais estranho que isto possa soar, o verdadeiro poder de um deus está em seus fiéis que pelo poder criador da fé dá-lhes o poder, portanto é a fé de cada um de nós que nos torna fortes, independentemente do credo que seja.
A religião sempre foi uma herança cultural, a sua religião muito provavelmente também é a de seus pais, raros casos em que a religião dos pais não é dos filhos. Ela é imposta aos recém nascidos e também imposta em escolas, pela sociedade em que se vive, somos obrigados a seguir determinada crença que variará de acordo com o lugar do mundo em que você viver.
E onde o paganismo entra nisso tudo? Paganismo deriva-se do termo latino paganus habitante do campo, que durante a Idade Média quando o termo passou a ser mais fortemente usado eram os camponeses os principais praticantes do paganismo, que é o termo usado para definir qualquer religião não judaico-cristã, religiões não abrâamicas. Como a religião judaico-cristão era uma religião da corte, dos nobres, ricos e poderosos o povo praticava em seus lares os antigos cultos, que com o passar do tempo foi sendo mesclado as práticas cristãs.
O termo pagão ao longo da história foi usado como um termo pejorativo, de ofensa e até mesmo xingamento, e é este um dos motivos que para muitos esta palavra soe tão assustadora. Mas o que é um pagão?
Deus Judeu
Esta resposta vem de um pagão, não de termos escritos em livros escritos por outros, ou mesmo por teólogos cristãos. Não podemos definir o paganismo como uma unidade maciça devido às milhares de crenças que ele engloba. Mas em uma síntese um pagão é o crente dos deuses, da natureza, da essência do universo, do culto ao grande Pai, a grande Mãe.
E uma das maiores diferenças podemos dizer que é o respeito religioso para com as outras crenças. Infelizmente em nossa história não podemos negar que as culturas impuseram suas crenças sobre as outras, e isso não é de uso exclusivo dos cristãos. Contudo há uma grande diferença, os pagãos não negam a existência de outros deuses, de outras religiões, outras formas de ver o mundo.
No apogeu da cultura grega, com a sua expansão pelo mediterrâneo conquistando os povos do mar mediterrâneo, conhecendo novas culturas, totalmente diferentes da sua, com credos muito diferentes, o que eles fizeram? A maior cultura, o mais próspero e poderoso país, o Egito, com suas crenças muito mais antigas que as gregas, qual foi à reação dos gregos ao estabelecer contato com os egípcios? A junção através de mitos das duas religiões.
Quando na Grécia os deuses híbridos de animais e humanos vindos das terras do Nilo surgiram tinha que haver uma explicação para isso, e a explicação surgiu. Segundo os mitos, depois que Zeus baniu o titã Cronos do trono do céu, assumiu o seu lugar. Com o passar dos anos a fúria dos titãs aumentou e um dia eles se rebelaram e atacaram os deuses. Em um arroubo de poder o trono divino de Zeus foi usurpado e apoderado novamente pelos titãs, que lutaram com os deuses, porém estes fugiram para as terras distantes do Nilo e se misturam aos animais, tendo uma aparência híbrida, sendo cultuada mais tardiamente pelos próprios egípcios.
Cronos Destronando Urano
 A única a ficar ao lado de Zeus foi Athena. Zeus foi desmembrado e seus pedaços espalhados pela terra, como forma de castigo. Depois de milhares de anos, os deuses tomaram consciência de seus atos covardes e retornaram ao Olimpo dispostos a retomar o trono dos deuses. E assim o fizeram, reconstituindo Zeus e com isso banindo novamente os titãs para as profundezas da Terra.
Neste mito podemos ver a capacidade dos gregos de assimilarem a cultura de outros povos na sua, sem destruir a cultura do outro pela dizimação. Outro exemplo claro é a própria deusa Afrodite. A origem desta deusa é controversa, ela é a deidade principal, dos doze grandes mais recente. Tanto que há dois mitos sobre sua origem, um de que ela é filha de Zeus e outro em que ela aparece nascida das ondas graças aos testículos de Urano, pai de Cronos, que quando foi destronado por seu filho acabou tendo seus testículos mutilados, caindo nas ondas do mar, com isso a deusa do Amor surgiu. Devido a isso a própria deusa é mais antiga que Zeus, ela é uma titã também, tia de Zeus.
O nascimento de Vênus, Sandro Botticelli 
Afrodite é uma junção de deusas mediterrâneas muito anteriores a ela, como a deusa babilônica Ishtar e outras deusas primordiais, o amor é uma essência primordial humana, misteriosa e controversa, até mesmo sua representação divina o é, misteriosa e poderosa, e também subestimada por muitos.
O paganismo é esta mistura, não só de crenças, mas também de pessoas, das mais diversas partes do mundo, pois cada região do mundo vê o mundo de uma forma diferente e, portanto seus deuses também o são.
Algo que aprendi e posso sentir emanado de mim é o chamado divino. Essa voz que ecoa em cada um de nós sob diversas formas. Para um cristão ela soa sob a forma de Jesus, para o indiano sob a forma de Krishina, e para mim ela soa sob a forma da natureza, com a voz da Deusa Mãe. Essa voa ecoa em todos nós, ninguém mais a ouve, apenas você, ninguém pode te obrigar a ouvi-la, ela ecoará mais forte um dia em sua vida. Ela sempre ecoa, contudo muitas vezes você está tão ocupado com tantas coisas que nem se preocupa com você mesmo, com seu interior.
Essa foi uma pequena explanação sobre a minha forma de ver o paganismo, sobre minha forma de senti-lo, e convido a cada um de vocês, sejam pagãos ou não que compartilhem aqui sua forma de perceber o mundo, como é a voz divina que pulsa em vocês.
Um grande abraço a todos, que a voz divina da natureza, do universo soe de forma tão poderosa em cada um de vocês que não possa ser ignorada, que ela seja como o som do tambor nas batalhas, a batalha por si mesmo, pelo mundo, a batalha pelo equilíbrio, que toda a força dessa energia abençoe a cada um de nós.
Que assim Seja
E assim se Faça
De seu irmão Pallas

Um comentário:

  1. Cara, genial, você descrevei simplesmente a mesma coisa que eu tenho no meu coração, quando sinto o vento, ou a chuva no meu rosto, minha pele, quando eu ando descalço ( meu elemento é a terra) e como se eu tivesse em contato direto com a parte divina desse planeta, e como se eu entrasse em estase , como se eu estivesse aqui e ao mesmo tempo longe, é a melhor sensação que eu já vi nesse mundo. Parabéns pelo texto, um grande abraço .

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim, por favor deixe a sua opinião aqui.
Eu peço apenas que não utilizem palavras de baixo calão ou xingamentos, não modero os comentários, porém caso sejam apenas de ofensas serão excluídos, críticas serão sempre bem vindas.
Desde já muito obrigado,
Pallas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook